Bem-Vindo ao Mundo Virtual


60% dos adolescentes portugueses têm conta numa rede social

60% dos adolescentes portugueses têm conta numa rede social

    "O Facebook é a grande moda entre as crianças e jovens. Os pais até ficam contentes dos filhos não andarem tanto na rua, mas, há perigos escondidos entre as paredes do quarto.

     A Rita tem 12 anos e tem uma conta no Facebook. Como a Rita há milhares de adolescentes com conta numa rede social.

     Mais concretamente, quase 60 por cento das crianças e jovens portugueses têm um perfil numa rede social e destes 25 por cento têm-no sem restrições de acesso.

    Este é um dos dados relativos a Portugal revelados por um inquérito realizado em 25 países europeus, apresentado, esta sexta-feira, no Luxemburgo, a que Lusa teve acesso, e que envolveu 23 mil crianças dos nove aos 16 anos.

    O estudo, promovido pelo projecto «EU Kids Online», visou determinar factores de risco, como pornografia, bullying, mensagens de cariz sexual, contacto com desconhecidos, encontros offline com contactos online, conteúdo potencialmente nocivo gerado por utilizadores e abuso de dados pessoais.

    Entre os jovens portugueses utilizadores de redes sociais, 25 por cento têm o perfil público, enquanto sete por cento partilham a morada ou o número de telefone (estão entre os que menos o fazem em comparação com as outras crianças europeias).

    Cristina Ponte, coordenadora nacional do projecto e professora de Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa, explicou que esta é uma tendência europeia incontornável, mas à qual os pais devem estar atentos, particularmente quando as crianças portuguesas são das que mais acedem à Internet nos seus quartos (67 por cento), isolados da vigilância dos adultos. A Rita pediu autorização à mãe para abrir conta no Facebook. A mãe, por sua vez, vigia a conta, sem desrespeitar o espaço da filha pré-adolescente, mas, muitos pais não o fazem, nem sabem que os filhos têm perfil nas redes sociais, como o Facebook ou o Twitter.

    O estudo revelou ainda que entre as crianças e os jovens portugueses inquiridos, 4 por cento responderam já ter ido a encontros com pessoas que conheceram online e 15 por cento dizem manter contactos com essas pessoas, valores que estão, contudo, abaixo da média europeia.

    «Pedidos de amizade» dos amigos dos amigos e «encontra os teus amigos». Os apelos na rede social para aumentar o número de pessoas sucedem-se. A nível europeu, 29 por cento das crianças dos 9 a 16 anos que usam a Internet já comunicaram com alguém que não conheciam cara-a-cara e oito por cento encontrou-se offline com um contacto online no último ano.

    O estudo revelou ainda que 22 por cento dos jovens dos 11 aos 16 anos que tiveram exposição a um ou mais tipos de contactos online falaram disso a alguém da última vez que aconteceu, 36 por cento disseram a um amigo, 18 por cento contaram ao pai ou à mãe e 24 por cento apenas deixaram de usar a Internet por uns tempos e mudaram as suas definições de filtros ou contactos.

    O inquérito revela ainda que nove por cento das crianças dos 11 aos 16 anos foram vítimas de usos indevidos dos seus dados pessoais ¿ password (sete por cento), informação pessoal (cinco por cento) e de fraudes monetárias (dois por cento).

    Comparando os países, a exposição a um ou mais riscos inclui até dois terços das crianças na Estónia, Lituânia, República Checa e Suécia, enquanto Turquia, Portugal e Itália registam menor risco.

     O «EU Kids Online», um projecto que se destina a melhorar o conhecimento sobre as experiências e práticas de crianças e pais europeus em relação ao uso da Internet." 

21-10-2010

     http://diario.iol.pt/tecnologia/facebook-redes-sociais-internet-jovens-estudo-tvi24-/1201188-4069.html 

 

                                                    

  Comentário

       Sem dúvida, tanto a Rita como muitos jovens pertencem a uma rede social. Eu, por exemplo, pertenço a duas redes sociais como os meus amigos, e gostamos imenso de perder horas e horas a explorar o que essas redes nos fornecem em tempo real.

As redes sociais são fabulosas para conversar, partilhar fotografias, dados, mas devemos sempre ter cuidado. Como? Fácil. Não aceitar “pedidos de amizade” de pessoas desconhecidas, e muito menos falar com pessoas que nunca tenhamos visto; colocar o perfil bloqueado para que ninguém mal intencionado possa utilizar fotografias, dados pessoais, e outros; não publicar dados pessoais, nem muitas fotografias, uma apenas chega.

        Eu não tenho os meus dados pessoais expostos, tenho os perfis bloqueados, mas não tenho apenas uma fotografia, porquê? Não sei, mas acho muito divertido comentar as fotografias dos meus amigos e eles as minhas. E sim, já aceitei pedidos de amizade de pessoas que não conhecia, provavelmente por a fotografia atrair-me ou por algum dos meus amigos ser amigo dessa pessoa.

        Depois de ler informações e notícias de casos reais acerca dos perigos que ficamos sujeitos, vou estar mais atenta e não cometer os mesmos erros que tenho cometido até agora.

        Para divertirmo-nos nas redes sociais não é necessário corrermos riscos, basta termos cuidado e precaução.

        Consultei o site do projecto “EU Kids Online” (www.eukidsonline.net), e gostei imenso. Acho que é um projecto inovador, bem organizado e tem imensas informações que todas as pessoas deviam tomar conhecimento.